Por Ana Bottallo

Uma espécie de jiboia rara foi encontrada viva pela primeira vez em 70 anos por pesquisadores do Museu de Zoologia da USP e do Instituto Butantan. A serpente, chamada de jiboia-do-ribeira ou jiboia-de-Cropan (Corallus cropanii) foi encontrada por moradores de uma comunidade no Guapiruvu, no Vale do Ribeira, interior do Estado de São Paulo, perto do município de Sete Barras. O motivo da cobra ser encontrada viva, e não morta a pauladas pelos moradores, foi graças ao trabalho de Educação Ambiental que os pesquisadores Bruno Rocha, Daniela Gennari e Lívia Correa fizeram na comunidade. A região é um dos poucos remanescentes de Mata Atlântica do estado.

LIMA
Corallus cropanii no dia da soltura. Foto TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Agora que a serpente foi encontrada, os pesquisadores pretendem estudar a sua biologia, até então desconhecida. Para isso, Bruno e Daniela montaram um acampamento no Guapiruvu, de onde será possível monitorar o deslocamento e as atividades – alimentação, forrageio, reprodução – da serpente, através da implantação de um radiotransmissor.

LIMA
Acampamento onde os pesquisadores se instalaram para estudar a cobra. FOTO TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

 

A reportagem é de Herton Escobar, jornalista científico do Estadão.

Acompanhe mais sobre a Corallus cropanii em:

Projeto de Conservação Corallus cropanii

https://www.youtube.com/watch?v=_2q1x6NLYLY

https://www.youtube.com/watch?v=8viYCzkDa0s

https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=1jYVZohf7qU

https://www.youtube.com/watch?v=zRISvHPRIXM