Se você tem algum interesse por animação ou por cultura pop de modo geral, ou ainda se não tem, mas dá pelo menos um scroll down na timeline do Facebook por dia, provavelmente já viu a cara desses dois: Rick e Morty estão com tudo atualmente, e é difícil não ter visto o senhor com jaleco e seu neto com camiseta amarela por aí! Ou, como eles mesmos diriam, você não viu, e provavelmente não dá a mínima!

Hoje, aqui no Filos, chegou a hora de conhecer os personagens criados em 2013 pelos americanos Justin Roiland e Dan Harmon : Rick Sanchez é o avô, o cientista maluco (sim, de novo ele!), o maior cientista do mundo, talvez do universo inteiro, com total desprezo pelo comum e que possui um laboratório na garagem, onde faz de tudo: desde uma armadura que torna seu cão consciente até algo que o transforma em um picles para que ele não compareça à sessão de terapia familiar – é, você não leu errado. Ah, antes que eu me esqueça: sendo um terrorista intergaláctico e interdimensional, Rick costuma viajar por dimensões e realidades alternativas com frequência, aprontando as maiores confusões.

Confira o trailer da terceira temporada abaixo (em inglês), só para começar:

É nessas viagens que ele carrega Morty, seu neto adolescente que só queria ter uma vida normal no colégio, na família e tudo mais. Mas nada é normal em Rick e Morty. Nada!

A família tem outros integrantes, claro: Beth, a mãe veterinária, com problemas no casamento, tentando descobrir quem é; Jerry, o pai desempregado, que é a total antítese de Rick, retratado como o homem comum, fracassado e até mesmo idiota; e Summer, a irmã mais velha, com os dilemas clássicos de uma adolescente que não larga o seu smartphone. E acredite, o relacionamento e as interações entre esses cinco personagens (muito bem explorados, ao contrário de outras séries do gênero) é um dos fatores que fazem da série Rick e Morty ser o que é!

Rick e Morty – 01
IMDb.

Como qualquer animação voltada para o público adulto, o desenho contém uma boa dose de nonsense, piadas escatológicas, conteúdo sexual, sangue. E, claro, muita ficção científica, ciência sem se preocupar com a exatidão ou veracidade da coisa, o que nesse caso é muito bom! Além disso, referências da literatura (como por exemplo do autor H.P. Lovecraft), e de diversos filmes pipocam pelos episódios: “Guia do Mochileiro das Galáxias”, “Matrix”, “Jurassic Park”, “A Origem” e demais outros, estão todos lá, junto com a subversão, a acidez e a distância do politicamente correto.

A série conta com roteiros extremamente bem desenvolvidos, que não apenas provocam MUITO divertimento como também nos levam à reflexão acerca de alguns valores. As multi-dimensões por onde Rick e Morty se aventuram ao longo dos episódios – que só melhoram no decorrer da série – por exemplo, acabam por modificar comportamentos e valores do personagem mais novo, um adolescente em processo de amadurecimento – que, embora esteja em meio à extinção de realidades e flertando com a morte o tempo todo, ainda assim está amadurecendo.

Rick e Morty – 02
“Nobody exists on purpose. Nobody belongs anywhere. We’re all going to die. Come watch TV.” IMDb.

Profundidade de temas, drama, conflitos, filosofia, ficção científica, referências e comédia! Como não dar certo? E tudo isso ainda é pouco para descrever: a ideia aqui é instigar a curiosidade para que você dê uma chance a essa que é uma das melhores séries de animação da atualidade!

Exibida nos Estados Unidos desde 2013 pelo canal Adult Swim, Rick e Morty acabou de finalizar sua terceira temporada, por lá. No Brasil, as duas primeiras temporadas estão disponíveis pelo serviço de streaming Netflix. Portanto, tire as crianças da sala e boa maratona!

Ah, e como diria Rick: wubba lubba dub dub!!

Episódios recomendados por este que vos fala:

Temporada 01, episódio 01: Piloto 

Temporada 01, episódio 08: Rixty Minutes

Temporada 02, episódio 05: The Ricks Must Be Crazy

Temporada 03, episódio 03: Pickle Rick

Autor Luis Henrique Bio

Fontes: sites CineramaClube, Amigos do Fórum, Cinematologia, Mundo Estranho e Qstage.